19 De Maio | Dia Mundial de combate à Hepatite

Instituto Core de Música seleciona crianças para programa de musicalização infantil e iniciação musical
19 de maio de 2017
Receita do Dia | Almoço com sobras da carne de Domingo
22 de maio de 2017

Dia 19 de maio é Dia Mundial da Hepatite, doença que atinge, em sua maioria, jovens entre 10 a 19 anos (48,5% da população nesta faixa etária). Segundo dados do Ministério da Saúde, 3 milhões de brasileiros são portadores do tipo mais grave da doença, o tipo C, transmitido através de transfusões de sangue, cirurgias, relação sexual, agulhas, seringas e durante o parto.

A doença é caracterizada por uma inflamação no fígado e em alguns casos pode levar à morte do paciente por infecção aguda. Os seus sintomas podem ser confundidos com os da gripe: febre, dores no corpo, náusea e falta de apetite. “Atualmente, no município de São Paulo, estima-se a existência de 156 mil pessoas infectadas pelo vírus da hepatite C, considerada preocupante porque ainda não há vacina”, afirma a professora de Enfermagem da FMU, Márcia de Souza.

Já a Hepatite A ocorre quando não há higienização dos alimentos e das mãos durante as refeições e com a ingestão de água contaminada. O menor índice no país é o da Hepatite B, que ocorre em regiões mais pobres. Apenas 0,37% da população entre 10 e 69 anos está contaminada ou tem o vírus de forma crônica. A Hepatite E também é transmitida oralmente por má higiene e falta de saneamento básico.

Conheça melhor a Hepatite C ( Fonte: Drauzio Varella)

Sintomas
• A hepatite C é assintomática na maioria dos casos, ou seja, o portador não sente nada após a infecção pelo vírus. Em alguns casos, pode ocorrer uma hepatite aguda que antecede a forma crônica. Nesse caso, o paciente pode apresentar mal-estar, vômitos, náuseas, pele amarelada (icterícia), dores musculares. No entanto, a maioria dos portadores só percebe que está doente anos após a infecção, quando apresenta um caso grave de hepatite crônica com risco de cirrose e câncer no fígado.

Tratamento
• O tratamento consiste na combinação de interferon (substância antiviral produzida por nosso organismo e que combate o vírus da hepatite C) injetável, três vezes por semana, associado a uma droga (ribaveriva) administrada por via oral por um tempo que varia entre 6 meses e 1 ano.
• Quando não há cirrose instalada, as chances de eliminação total do vírus do organismo variam entre 30% e 70%, dependendo do tipo de vírus. 

Recomendações
• Não utilize drogas injetáveis;
• Certifique-se de que todo o material utilizado para coleta de sangue seja descartável;
• Verifique se agulhas ou qualquer outro material que entre em contato com o sangue é descartável ou está devidamente esterilizado;
• Leve seu próprio material quando for à manicure;
• Se quiser engravidar ou estiver grávida, faça o teste para saber se é portadora do vírus da hepatite C;
• Faça sexo com preservativo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *